Crente pode passar por provação?

Para que a prova de vossa fé, muito mais preciosa que o ouro perecível, mesmo apurado no fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo (I PEDRO, 1:7).

Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem plantar,  também ceifará (GÁLATAS, 6: 7).

Será que a pessoa depois de convertida pode sofrer? Como diferenciar colheita de prova? Como saber se o momento difícil que estamos vivendo é um teste de fé ou resultado de más escolhas? Como resistir no dia mau? Perguntas como essa são difíceis de serem respondidas quando não se tem clareza do que a Bíblia diz a respeito. Em primeiro lugar, um tabu precisa ser quebrado, o fato de a pessoa aceitar Jesus não a isenta de passar por provações ou sofrimentos. Às vezes, o simples fato de ser cristã já é motivo para perseguição. Há diversos exemplos na Bíblia de justos que enfrentaram provação. Ela pode se apresentar por meio de uma perda, perigo, doença, morte. Mas apesar de não estarmos livres desse tipo de sofrimento, temos a promessa que Deus não permite que passemos sozinhos (I PEDRO, 5:7, DEUTERONÔMIO, 31:8). Ele nunca abandona seus filhos. O termo provação pode ser definido como o momento em que Deus testa a fé do cristão, seja por meio da paciência, da perseverança, da fidelidade ou da prioridade. Em toda Bíblia, os testes de fé aconteceram por meio de algum dos desafios citados. Independente da história ou do tipo de provação, o que Deus queria mostrar  era o nível de fidelidade que os servos tinham para com Ele.

É preciso, ainda, diferenciar prova de colheita. Provação é quando o homem não tem participação direta nos fatos. Já colheita, é quando aquilo que foi plantando vem à tona. Pode ser considerada como a hora do acerto de contas. Afinal, tudo que foi plantado, será colhido algum dia.  Não se pode achar que alguns erros do passado não devem ser corrigidos no presente só porque aceitamos Jesus. O Senhor perdoa nossos erros, mas as consequências são inevitáveis. Por isso, precisamos confessá-los e pedir perdão àqueles que ofendemos. Além é claro, de orar ao Senhor pedindo que a ceifa não seja tão difícil. As consequências vem, mas cabe ao cristão “queimar” a colheita antes de guardar no celeiro.

É preciso viver uma vida honesta, com prudência e seguir as orientações bíblicas para conduzi-la com sabedoria. Pode-se dizer, que grande parte das lutas que os crentes enfrentam são decorrentes de más escolhas. Não se pode atribuir tudo ao diabo ou dizer que é provação. Se falta dinheiro, nem sempre é o inimigo. Por vezes, é a imprudência no momento de gastar ou na hora de fazer negócios. Se falta saúde, por vezes, é por negligência com o corpo e com a alimentação. Certo que pode ocorrer provação por meio de doença, mas só acontece quando a enfermidade não foi provocada por uma vida sedentária e desleixada. É preciso avaliar se a luta que o crente passa é por conta de escolhas erradas ou se é de fato é Deus colocando sua fé em prova.

Independente do motivo que nos leva a passar pelo dia mau (prova ou colheita), nossa fidelidade ao Senhor precisa ser inabalável. Precisamos ter paciência e aguardar o livramento de Deus. É preciso perseverar mesmo quando tudo nos leva a desistir. É preciso manter Jesus em um lugar de honra no nosso coração (primeiro lugar). Afinal, “em todas estas coisas, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou” (ROMANOS, 8: 37).


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s