Amor, ah o amor…

Best-Flower-Wallpaper.jpg

O amor é o maior sentimento que um ser humano é capaz de sentir, justamente pelo fato de ser algo nobre e difícil de ser encontrado. O amor que une um casal é um ótimo exemplo, pois ele vai além de uma atração física, empatia ou amizade. O amor que envolve um casal exige renúncia, abnegação, entrega, desprendimento. Infelizmente muitos casais ao se unir em matrimônio, não tem noção do que os espera. Pensam que casamento é uma relação que apenas oferecerá algo e nunca exigirá nada. Para a grande maioria, o pensamento que impera é: casar para ser feliz.

Se a base de um casamento é o amor, pode-se dizer então que a partir do momento do sim, haverá renúncia, abnegação, entrega e desprendimento. Mas o egoísmo é um acessório que vem junto no dia do casamento. Ninguém quer abrir mão de nada, ninguém pensa no outro em primeiro lugar. E no pior dos casos, tanto o homem quanto a mulher acha que tem apenas um companheiro de quarto com quem vai dividir despesas e ter suas necessidades sexuais supridas. O casamento, digo o amor, é muito mais que isso. O sentimento que nos faz querer estar perto de alguém também deve ser capaz de nos despertar o desejo de querer fazer o outro feliz. É como se as atitudes fossem uma extensão desse sentimento. Não há amor genuíno sem obras. Mas então por que algumas pessoas erram tanto durante o casamento? Se o que as motivou a casar é tão somente o amor? A resposta é simples. Entram no relacionamento apenas pensando em receber, esquecem que no casamento há direitos e deveres.

Ao esquecer os deveres, a tendência é que um dos cônjuges sugue o outro, que fique numa condição de espera e expectativas. Tal postura gera desconforto para ambos, já que aquele que espera demais se sente frustrado quando não recebe e aquele que só oferece se sente vazio e incompleto. É preciso estar ciente ao se casar das atribuições de cada um, não partir para o desconhecido sem um manual prático que dê orientações para dias de tribulação. Este manual é a Palavra de Deus, a qual possui informações valiosíssimas para a felicidade de um casal.

A Palavra de Deus em Cantares 2: 15 diz: “Apanhai-me as raposas, as raposinhas, que fazem mal às vinhas, porque as nossas vinhas estão em flor”. Nesse texto há verdades profundas, não são os problemas grandes que podem separar um casal, são os pequenos. Haja vista o termo raposinhas. Quando se diz que a vinha está em flor, quer dizer que o casal está no auge de seu amor e romance, porém  está em flor, isto é, não gerou frutos ainda. Assim, os detalhes do dia a dia (as raposinhas) podem estar tentando destruir a vinha, impedir que haja frutos e resultados. A premissa tirada desse versículo é: sem vinha, não há uvas, sem uvas não há vinho e, sem vinho não há alegria. Dentro dessa linha de pensamento, de que são os detalhes, os erros “pequenos” os possíveis causadores de uma separação é que vamos estudar Provérbios 31:10 ao 31 a fim de prevenir e até mesmo remediar certos pontos de tensão entre casais. Neste caso, por se tratar de um post voltado para mulheres, daremos atenção à essência de uma mulher, suas funções, atitudes esperadas, características almejadas, bem como os benefícios de uma vida alinhada à mulher virtuosa de Provérbios. Aguarde 🙂


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s